Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo ou faça o download para ouvir offline!

Saber quanto custa ter um filho é essencial para oferecer tudo o que uma criança precisa e manter as finanças equilibradas. Você precisa pensar em custos com enxoval, alimentação, creche, escola, plano de saúde, entre outras despesas essenciais.

Para os pais de primeira viagem, pode ser complicado estimar todos os gastos e entender o impacto no orçamento da família. Então, para te ajudar, neste artigo mostraremos como calcular quanto custa ter um filho a partir de alguns valores aproximados para você se basear.

Continue lendo e prepare-se financeiramente para esse momento!

Quanto custa ter um filho?

Ter um filho pode custar entre R$ 400 mil e R$ 2 milhões, se considerarmos todos os gastos dos 0 aos 18 anos. Essa é a estimativa calculada por especialistas financeiros do Insper consultados pela Forbes, considerando os dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre o tema.

No caso, o custo de R$ 400 mil é estimado para famílias da classe C. O valor salta para R$ 900 mil para famílias da classe B, e para R$ 2 milhões entre a classe AB.

Considerando o valor mínimo, de R$ 400 mil, podemos concluir que o gasto mensal médio com um filho é de R$ 1.851.

Mas é claro que estamos falando de um valor aproximado, pois esses custos variam muito conforme a cidade, classe social, renda familiar, padrão de vida, idade da criança ou adolescente, entre outros fatores.

Então, vamos conferir as médias de gastos para cada fase da vida de um filho.

Qual o gasto mensal com bebê recém-nascido?

O gasto mensal médio com um bebê recém-nascido é de, aproximadamente, R$ 10 mil, considerando todos os produtos necessários para preparar a casa e cuidar da criança.

Na prática, um enxoval completo com carrinho, banheira, berço, babadores, macacões, fraldas, roupas de cama e banho, produtos de higiene, móveis e acessórios pode custar entre R$ 5 mil e R$ 15 mil — ou ultrapassar facilmente esse valor entre famílias mais ricas.

O único item que pode sair um pouco mais barato é o plano de saúde, já que as mensalidades são menores para os recém-nascidos (entre R$ 150 e R$ 300 nos planos mais populares).

Além disso, é preciso contabilizar ainda os gastos com babá, se for o caso, e uma possível reforma ou mudança de residência para acomodar o novo membro da família. Se colocarmos os custos de pré-natal e parto na conta, o valor pode subir ainda mais.

Quanto custa um filho no primeiro ano de vida?

O primeiro ano de vida de um filho custa, em média, R$ 16 mil, de acordo com os cálculos realizados pelo blog Just Real Moms.

O valor pode aumentar ou diminuir conforme as marcas escolhidas pela família, necessidade ou não de uma creche, opção pelo aleitamento materno ou fórmula, entre outros fatores.

Para você ter uma ideia, dos 0 aos 3 anos, os bebês usam, em média, 5 fraldas por dia. Considerando o custo médio de R$ 0,75 por fralda, o gasto mínimo com esse item essencial será de cerca de R$ 4 mil.

O restante dos gastos se divide entre produtos de higiene (sabonete, algodão, óleo, lenços umedecidos, etc.), alimentação (leite em pó, mamadeira, babador, talheres, etc.), roupas, roupas de cama, banheira, móveis e passeio (carrinho, cadeirinha para o carro, etc.), entre outros itens.

Quanto custa uma criança em diferentes fases da infância?

Os gastos com uma criança variam conforme a fase da infância e da adolescência, mas a tendência geral é que os gastos aumentem.

Dos 0 aos 4 anos, por exemplo, o enxoval tem um custo alto, mas é possível ser econômico e comprar somente os itens essenciais, além de poupar dinheiro com serviços de babá e creche, se possível.

Nessa primeira fase, os custos devem girar em torno de R$ 35 mil, considerando o investimento inicial mais os quatro primeiros anos.

Quando a criança chega à idade escolar, a mensalidade de uma escola particular adiciona um custo mensal significativo.

De acordo com uma pesquisa da Quero Bolsa, estes são os custos médios da mensalidade de colégios particulares nas principais fases da vida escolar em diferentes estados:

  • Ensino Infantil: entre R$ 270 e R$ 906;
  • Ensino Fundamental I: entre R$ 309 e R$ 975
  • Ensino Fundamental II: entre R$ 345 e R$ 1.022;
  • Ensino Médio: entre R$ 486 e R$ 1.251.

Há escolas que cobram valores bem acima, mas, com base nesses números, já dá para imaginar quanto custa ter um filho em diferentes fases da infância e adolescência.

Quanto custa criar um filho até os 18 anos?

Estes são os custos médios para criar um filho até os 23 anos de acordo com a classe social da família, segundo uma pesquisa do Instituto Nacional de Vendas e Trade Marketing (INVENT):

  • renda de até R$ 2 mil por mês: cerca de R$ 54 mil dos 0 aos 23 anos de vida de um filho;
  • renda entre R$ 2 mil e R$ 6 mil: o valor passa dos R$ 400 mil no mesmo período;
  • renda entre R$ 6 mil e R$ 25 mil: as despesas com filhos chegam a quase R$ 1 milhão;
  • renda acima de R$ 25 mil: gastam R$ 2 milhões ou mais com um filho.

Leia também: 6 dicas sobre como fazer um planejamento financeiro familiar

Principais custos para criar um filho

Agora que você já tem uma ideia de quanto custa ter um filho, vamos falar sobre os principais gastos que uma criança traz para a família. Confira.

Enxoval

Como vimos, o enxoval inclui todos os produtos de que um bebê necessita em seus primeiros anos de vida e o valor pode ultrapassar facilmente os quatro dígitos.

Os pais podem escolher se preferem itens mais econômicos ou se querem adotar o que há de melhor e mais moderno, incluindo produtos inovadores como bombas de amamentação inteligentes, mamadeiras com autoaquecimento e babás eletrônicas.

Mobília

Conforme a criança cresce, é preciso substituir móveis do quarto como cama, guarda-roupa e cômoda. Além disso, a decoração também acompanha as diferentes fases de desenvolvimento e preferências do filho.

Roupas e acessórios

Todo pai e mãe enfrenta o drama de perder várias roupas e calçados porque o filho está crescendo muito rápido.

Muitos pais participam de brechós e trocam roupas entre os familiares, pois é complicado acompanhar o ritmo de crescimento dos pequenos e manter o guarda-roupa completo.

Alimentação

Desde o nascimento, a criança demanda uma alimentação equilibrada e planejada para crescer de forma saudável. E mais: vários produtos infantis industrializados são caros, como a fórmula para bebês e as guloseimas.

Creche

Para os pais que trabalham e não contam com avós dispostos a ficar com o filho, a única saída para seguir a carreira é pagar uma creche.

Com sorte, a família pode conseguir uma vaga na creche pública, mas a mensalidade de uma instituição particular não sai por menos de R$ 500 pelo meio período.

Mensalidade da escola particular

Como vimos, as mensalidades de escola particular ultrapassam R$ 1 mil e encarecem à medida que a criança cresce.

Isso porque os exemplos mencionados são de instituições mais populares, pois os colégios mais tradicionais podem cobrar mensalidades que passam dos R$ 5 mil.

Cursos e atividades extracurriculares

Além da escola, é provável que você queira oferecer cursos e atividades extracurriculares para enriquecer a educação do seu filho. Por isso, é importante contabilizar as aulas de natação, judô, balé, inglês, violão e o que mais a criança desejar e puder fazer.

Plano de saúde

O plano de saúde é indispensável para crianças, que precisam de consultas regulares com o pediatra. Assim como no plano para adultos, a mensalidade aumenta conforme a faixa etária.

Material escolar

O material escolar pesa no orçamento no início do ano, e chega com a matrícula da escola. Dependendo das exigências do colégio, os preços podem variar entre R$ 200 e R$ 3 mil, contando com livros.

Brinquedos e lazer

Os brinquedos e passeios fazem parte da infância e devem ser incluídos no orçamento.

Os gastos nessa área são muito variáveis, mas a tendência é que os ingressos para atrações infantis e produtos para entretenimento encareçam com o passar do tempo.

Tecnologia

Na era digital, os pais também precisam se preocupar com os gastos com tecnologia. Afinal, que criança não quer ter seu videogame, tablet, computador gamer e, mais recentemente, smartphone?

Como se planejar para ter um bebê

Por fim, vamos dar algumas dicas para ajudar você a se planejar para ter um bebê e estimar quanto custa ter um filho. Veja a seguir.

Planeje o pré-natal e o parto

Durante a gravidez, os gastos com pré-natal na rede particular podem custar muito caro. Já o parto no particular pode ultrapassar facilmente os R$ 10 mil.

Por isso, é importante verificar as coberturas e carência do seu convênio médico antes de ter um filho e, se necessário, trocar de plano a tempo para ter uma gestação tranquila e um parto seguro.

Aproveite e confira como escolher um plano de saúde que cabe no seu bolso.

Planeje o enxoval com antecedência

Como vimos, o enxoval é o principal gasto nos primeiros meses e anos do bebê. Então, é essencial começar a pesquisar os preços antes mesmo da gravidez e entender como funciona esse mercado.

Faça o famoso chá de bebê

O chá de bebê é uma ótima oportunidade para economizar com o enxoval e envolver a família no processo. Não deixe de marcar o seu e preparar uma lista de presentes caprichada.

Dica: também vale substituir o chá de bebê por um chá de fraldas, caso você já tenha o enxoval encaminhado.

Pense na sua carreira

É fundamental pensar em como os pais vão seguir a carreira após o nascimento do bebê. Na maioria das vezes, a solução é o berçário ou creche, e vale a pena pesquisar preços desses serviços com antecedência.

Prepare sua casa e seu bolso

Além de estimar todos os gastos que você terá com a criança, é essencial preparar sua casa para receber o novo membro da família. Isso inclui verificar a segurança do seu lar, reservar um quarto confortável e próximo ao seu, telar janelas e mobiliar corretamente o espaço do bebê.

Esperamos que agora tenha ficado mais claro quanto custa ter um filho e como se planejar para esse grande momento.

O propósito da Neon é diminuir desigualdades, mostrando caminhos financeiros mais simples e justos, porque todos merecem um futuro brilhante. A educação financeira é um dos principais pilares para fazer isso acontecer, por isso estamos aqui para te acompanhar em sua jornada com as finanças.

Conheça a Neon e todos os produtos que esperam por você aqui.