Quem não gosta de ganhar um dinheirinho extra, né? Além de fazer bicos, freelas, alugar um quarto do seu apartamento no Airbnb (veja outras dicas aqui), uma alternativa para tirar uma grana a mais é fazer o cadastro no programa Nota Fiscal Paulista e informar seu CPF sempre que fizer uma comprinha. 

Dá trabalho? Que nada, é tão simples. Vamos te explicar como funciona! 

Criado em 2007 pela Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo, o programa permite receber de volta parte do imposto pago em produtos (o percentual pode chegar a 30% da quantia paga de imposto, sabia?), além de realizar sorteios em dinheiro todo mês. Na prática, quando você opta por informar o CPF em uma compra, recebe um crédito. Conforme acumula, existe a opção de transformá-lo em dinheiro.  

Como fazer o cadastro na Nota Fiscal Paulista? 

Além de manter o hábito de informar o CPF, para participar dos sorteios e conseguir ter acesso aos créditos, é preciso fazer um cadastro no site da Nota Fiscal Paulista. 

Não há cobrança de taxa, o cadastro é gratuito e bem simples. Para efetuar o cadastro, é necessário possuir um e-mail cadastrado em seu nome (sim, coisa difícil, né?).  

O cadastro inclui, ainda, o CPF e o CEP associados na Receita Federal ao seu CPF, assim como o número do título de eleitor. 

Segundo informações no site da Nota Fiscal Paulista, esses dados não são obrigatórios, mas evitam a possibilidade de bloqueio de senha, por exemplo, caso você se esqueça dessa informação em algum momento.  

O formulário conta também com outras informações pessoais, bem tradicionais de qualquer cadastro, sabe?  

Nota Fiscal Paulista: saiba como ganhar um dinheiro extra com seu CPF

Apesar de não ser uma condição para acumular créditos no programa Nota Fiscal Paulista, a conclusão do cadastro é um requisito para concorrer aos prêmios mensais em dinheiro.  

Quanto é possível ganhar com a Nota Paulista? 

Os créditos da Nota Fiscal Paulista variam conforme o valor do imposto pago pelos estabelecimentos comerciais, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). 

O percentual que será devolvido pra você pode ser de 5% a 30% do valor recolhido de imposto pelo estabelecimento. 

Então, quanto maior a compra, maior o crédito? Não é bem assim. Um cálculo precisa ser feito, dá uma olhada neste exemplo.  

Vamos supor que o açougue onde você compra carne para o churrasco do fim de semana recolheu R$ 1.000 referente ao imposto devido. Nesse caso, o percentual a ser devolvido será de 30%, conforme a Resolução SF 56/2009. 

Caso 500 pessoas tenham pedido a inclusão do CPF na nota fiscal, o crédito será dividido entre todos os consumidores, na proporção do valor que cada um pagou nas compras feitas. 

Como existe essa divisão, dá para ganhar um crédito mais alto mesmo com compras de menor valor, por exemplo. Isso ocorreria numa situação em que poucas pessoas tenham informado o CPF.  

Ah, é importante lembrar que pra resgatar os créditos, o valor mínimo que você precisa ter é R$ 0,99. Antes, o valor era mínimo era R$ 25. Uma bela diferença, né? 

Como usar os créditos da Nota Paulista?