Mulheres investidoras: exemplos e lições para você

As mulheres investidoras estão se multiplicando e conquistando cada vez mais espaço no mercado financeiro. Veja quem são e como investem.
5 minutos de leitura
5 minutos de leitura
Mulher ao lado de cifrão e moeda amarela

As mulheres investidoras estão chegando com tudo no mercado financeiro e mostrando que também sabem multiplicar dinheiro.

É fato que o cenário ainda é dominado por homens, mas a participação feminina está aumentando cada vez mais nos últimos anos.

Mulheres de todas as faixas etárias buscam independência financeira, formação de patrimônio, aquisição de bens e outros objetivos que os investimentos podem proporcionar.

Então, vamos conhecer melhor essas mulheres investidoras e entender como elas estão conquistando o mercado financeiro.

Continue lendo e saiba como se juntar a elas.

Mulheres investidoras: um cenário em alta

As mulheres investidoras vêm se multiplicando e conquistando espaço no mercado financeiro.

Um sinal claro desse avanço é que elas bateram recorde de participação na bolsa de valores em 2021, representando 29% do total de investidores, segundo dados divulgados pela B3 na CNN.

É claro que ainda é uma porcentagem baixa, mas indica um crescimento importante no número de investidoras e aponta para um futuro mais feminino na renda variável.

Outra informação interessante é que as mulheres costumam ter rendimentos superiores aos dos homens nos investimentos, de acordo com um estudo feito pela gestora de investimentos americana Fidelity.

Mesmo tendo um retorno em média 0,4% maior, apenas um terço das mulheres se veem como investidoras, o que mostra que ainda falta confiança a elas para se estabelecerem no mercado financeiro.

Felizmente, as perspectivas são positivas e cada vez mais mulheres devem embarcar no mundo dos investimentos nos próximos anos.

Quantas mulheres são investidoras?

Segundo a pesquisa Raio X do Investidor, realizada pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (ANBIMA), 40% dos brasileiros são investidores. Em relação ao gênero, 55% são homens e 45% são mulheres.

Com base nesses dados e partindo da média de 213,3 milhões de habitantes no país, podemos estimar que cerca de 38 milhões de mulheres investem em algum produto financeiro hoje no Brasil.

Ainda de acordo com o levantamento da Anbima, os principais produtos financeiros escolhidos pelos brasileiros e brasileiras são:

  • Caderneta de poupança;
  • Fundos de investimento;
  • Títulos privados;
  • Títulos públicos do Tesouro Direto;
  • Ações na bolsa de valores.

Exemplos de mulheres investidoras no Brasil

Para começar no mundo dos investimentos, nada melhor do que se inspirar em mulheres investidoras que já trilham essa jornada há um bom tempo.

Conheça algumas dessas figuras públicas.

Paula Reis

Paula Reis é uma consultora de investimentos com mais de 10 anos de experiência no mercado financeiro que fundou o canal Mulher Trader, voltado especialmente para mulheres que fazem day trading na bolsa de valores e outras modalidades de investimentos.

No vídeo abaixo, ela explica o propósito do canal e como ajuda mulheres a conquistarem sua independência financeira por meio de investimentos:

Júlia Abi-Sâmara

Júlia Abi-Sâmara é fundadora da plataforma de conteúdo As Investidoras, que oferece um curso de investimentos voltado especificamente para o público feminino.

Seu objetivo é empoderar mulheres através de aulas sobre o mercado financeiro e conceitos de economia.

Nath Finanças

Nathália Rodrigues é uma especialista em finanças e influenciadora que promove educação financeira para o público de baixa renda.

Ela é fundadora do canal Nath Finanças, onde ensina mulheres a gerenciarem sua vida financeira e investirem mesmo ganhando pouco.

4 razões para você também se tornar investidora

Não faltam motivos para se tornar uma investidora e começar a aplicar seu dinheiro desde já.

Confira os principais.

1. Conquistar objetivos financeiros

A principal razão para se tornar investidora é a possibilidade de conquistar seus principais objetivos financeiros a curto, médio e longo prazo.

Ao investir, você faz seu dinheiro trabalhar para você, gerando rendimentos ao longo do tempo.

Dessa forma, é possível multiplicar seu patrimônio, acelerar metas como a compra de um imóvel ou veículo, preparar sua reserva para a aposentadoria, entre outras realizações.

2. Alcançar a independência financeira

A independência financeira é o sonho de qualquer pessoa e se torna ainda mais importante para as mulheres, que ainda enfrentam problemas de discriminação no âmbito econômico como a desigualdade salarial e a tripla jornada de trabalho (emprego, tarefas domésticas e cuidado dos filhos).

Logo, é fundamental que elas consigam investir para gerar renda passiva e garantir uma vida mais confortável no futuro.

Aqui explicamos como viver de renda em 5 passos.

3. Dominar o mercado financeiro

O mercado financeiro pode parecer assustador no início, com sua infinidade de produtos financeiros disponíveis, termos complexos, indicadores e outros fatores que dificultam o acesso dos leigos.

Para as mulheres, é ainda mais complicado entrar nesse mundo, visto que a conquista da liberdade econômica é relativamente recente, se considerarmos que elas só entraram no mercado de trabalho durante a Segunda Guerra Mundial.

Além disso, no Brasil, a mulher só passou a ter tratamento igualitário por lei a partir do Código Civil de 2002.

Antes disso, a legislação ainda tratava o homem como o chefe de família e presumia que as mulheres deviam obediência aos pais e maridos, inclusive a respeito de sua vida financeira.

Por conta dessas desigualdades, as mulheres foram afastadas do universo financeiro, que hoje ainda é dominado por homens e, consequentemente, impõe algumas barreiras ao público feminino.

No entanto, elas estão superando esses obstáculos e tornar-se uma investidora é fundamental para conquistar o merecido espaço nesse cenário.

4. Gerenciar melhor suas finanças

Quando a mulher se torna investidora, é natural ganhar novos conhecimentos e habilidades para gerenciar a própria vida financeira de forma mais eficiente.

Afinal, para investir, é preciso seguir alguns princípios básicos de organização financeira pessoal, tais como:

  • Ter controle do próprio orçamento (gastar menos do que ganha);
  • Quitar as dívidas e manter apenas aquelas que cabem no bolso (parcelas que tomam até 30% da renda mensal);
  • Evitar gastos desnecessários que comprometem o orçamento;
  • Poupar uma parcela da renda mensal para investir.
Banner Com Cta Para Baixar E-Book Organização Financeira

Com quais objetivos as mulheres investem?

As mulheres investem com os mais variados objetivos, dependendo de suas metas pessoais e realidade financeira.

Veja alguns exemplos:

  • Comprar um bem (imóvel, veículo, terreno, etc.);
  • Ganhar independência e autonomia financeira;
  • Fazer uma faculdade ou pós-graduação;
  • Abrir um negócio;
  • Fazer uma viagem;
  • Mudar de país;
  • Fazer procedimentos estéticos;
  • Pagar os estudos dos filhos;
  • Construir patrimônio para o futuro;
  • Ter uma aposentadoria tranquila e confortável.

No que as mulheres investem seu dinheiro?

De modo geral, as mulheres preferem investimentos mais conservadores e de baixo risco, segundo uma pesquisa publicada pelo R7.

De acordo com os dados, 32,4% preferem a poupança, 13,9% escolhem títulos de renda fixa e 9,4% vão para os fundos de investimentos.

No entanto, como vimos, a porcentagem de mulheres na B3 segue crescendo, o que mostra que elas também estão se aventurando na renda variável, que abrange ativos de maior risco como ações, câmbio, opções, fundos de ações, etc.

Porém, assim como acontece com os homens, a maioria das investidoras coloca seu dinheiro na renda fixa, onde há maior previsibilidade e riscos mais baixos.

É o caso de produtos como:

  • Títulos públicos do Tesouro Direto;
  • CDB (Certificado de Depósito Bancário);
  • LCI e LCA (Letra de Crédito Imobiliário e do Agronegócio);
  • CRI e CRA (Certificado de Recebíveis Imobiliário e do Agronegócio);
  • Debêntures;
  • Fundos de investimentos de renda fixa.

Veja aqui como funciona o CDB Neon e como investir.

7 lições das mulheres investidoras para você

Para fechar com chave de ouro, confira algumas lições de mulheres investidoras para começar com tudo no mercado financeiro:

  1. Comece sua jornada de investidora formando uma reserva de emergência, que deve ser aplicada em produtos de baixo risco e alta liquidez (a quantia deve ser suficiente para cerca de 6 meses de gastos fixos);
  2. Supere os tabus ao redor da vida financeira e passe a falar sobre dinheiro com amigos e familiares;
  3. Você pode até ter uma conta conjunta com o(a) parceiro(a) para o orçamento doméstico, mas é importante que faça seus investimentos de forma autônoma;
  4. Acompanhe conteúdos de mulheres investidoras nas redes sociais, com os exemplos que trouxemos neste artigo;
  5. Aprenda a priorizar seus objetivos financeiros ao investir, mesmo que tenha metas voltadas ao patrimônio familiar;
  6. Após conhecer bem os produtos de renda fixa, dê um passo além e aplique uma pequena parte do portfólio na renda variável. Os riscos são mais altos, mas é a única forma de buscar um retorno financeiro acima da média;
  7. Diversifique sempre, pois, dessa forma, você dilui os riscos e aumenta seu potencial de rentabilidade.

O propósito da Neon é criar caminhos por uma vida financeira melhor para todos os brasileiros. A educação financeira é um dos principais pilares para fazer isso acontecer, por isso estamos aqui para te acompanhar em sua jornada com as finanças.

Este artigo foi útil?

Dê sua nota e comente abaixo

Média da classificação 4 / 5. Número de votos: 16

Seja o primeiro a avaliar este post.

Tags:
Picture of Time Neon
Time Neon
Um time de pessoas dedicadas a diminuir desigualdades, mostrando caminhos financeiros mais simples e justos, porque todos merecem um futuro brilhante.

Você também pode se interessar

NEON LOGO