Optar por abrir um CNPJ é uma decisão que envolve uma série de análises, por isso estamos aqui para te ajudar nessa tarefa: iremos te mostrar quais são as vantagens e desvantagens do MEI (Microempreendedor Individual) para você fazer a melhor escolha.

Afinal, ser microempreendedor individual pode ser o seu primeiro passo no universo dos negócios.

Essa é uma alternativa para quem quer começar uma empresa com pouco dinheiro e pode ser a oportunidade perfeita para tirar a sua ideia do papel e atuar de forma autônoma.

Não é à toa que essa modalidade é cada vez mais utilizada pelos brasileiros: segundo levantamento do Portal do Empreendedor, no final de 2020 o país tinha 11,3 milhões de MEIs ativos, 20% a mais do que no fim de 2019, quando o número estava em 9,4 milhões de registros.

Que tal então se tornar um microempreendedor individual também?

Continue lendo!

MEI: vantagens e desvantagens

Quer conhecer os prós e contras de ser um microempreendedor individual? Então vamos lá!

Vantagens do MEI

Começaremos mostrando quais são as vantagens de ser MEI.

Infográfico com as vantagens de ser MEI

Confira todos os detalhes sobre cada uma delas a seguir.

1. Facilidade de abrir empresa

Se você não sabe como fazer um MEI, para ser um microempreendedor individual basta fazer a inscrição no Portal do Empreendedor. O site gera automaticamente um CNPJ e um Certificado de MEI.

É um processo fácil e sem custos, ou seja, você não paga nada para abrir um MEI.

Depois, basta seguir com os trâmites, levando a documentação necessária para a prefeitura para conseguir um alvará de funcionamento. Por conta da pandemia, essa entrega de documentos está sendo feita pela internet.

Você também pode abrir a sua MEI gratuitamente e em poucos cliques usando o app MEI Fácil! Além disso, com ele você terá auxílio para emitir nota fiscal, pagar o boleto MEI e muito mais, tudo em uma plataforma completa e 100% online.

Não perca tempo, abra seu CNPJ MEI em minutos. É grátis, rápido e seguro!

ABRA SUA CONTA MEI

2. Tributação simplificada

Um dos principais benefícios do MEI é que não é necessário quebrar a cabeça com tributação.

Isso porque a modalidade é enquadrada no Simples Nacional, um regime tributário simplificado que é pago a partir de uma única guia mensal de pagamento, o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS).

Para isso, basta entrar no site e emitir a guia DAS mensalmente para fazer a contribuição. Os valores são reduzidos e fixos e têm como referência o salário mínimo, por isso podem mudar ano a ano.

Importante! MEI também precisa fazer uma declaração de Imposto de Renda separada da declaração de IR pessoa física, a Declaração Anual do Simples Nacional para o Microempreendedor Individual (DASN – SIMEI).

Veja aqui como fazer a Declaração Anual de Faturamento MEI passo a passo.

3. Aposentadoria e direitos trabalhistas

Aposentadoria, licença-maternidade e auxílio-doença são direitos trabalhistas garantidos pelo MEI.

Portanto, quando necessário, é possível solicitar esses recursos.

4. Emissão de nota fiscal

Assim como toda empresa, o MEI também pode emitir nota fiscal eletrônica (NF-e), o que gera segurança para a prestação de serviços e transparência perante os órgãos públicos.

Para isso é necessário ter o alvará de funcionamento por meio da prefeitura.

Porém, a emissão de nota fiscal não é obrigatória para que MEIs cobrem pessoas físicas, ficando ao seu critério.

5. Linhas de crédito específicas

Outra vantagem é que, como MEI, é possível obter linhas de crédito específicas com juros mais baixos. Dessa forma, dá para investir no seu negócio e fazer com que ele cresça mais rápido.

Isso é ainda mais importante para microempreendedores, que possuem uma renda mais baixa, dificultando o uso de capital de giro para investir na empresa.

6. Controle financeiro e tributário simplificado

Como vimos antes, os pagamentos referentes ao regime tributário são simplificados. Acredite, isso já é de grande valor para quem está começando a empreender.

O próprio controle financeiro é facilitado, uma vez que o MEI atua sozinho ou com, no máximo, um funcionário, e geralmente trabalha de casa.

Desvantagens do MEI

Como todo enquadramento empresarial, o MEI possui pontos positivos e negativos.

Então agora vamos às desvantagens de abrir um CNPJ MEI.

Infográfico com as desvantagens de ser MEI

Confira todos os detalhes de cada um desses pontos a seguir.

1. Contribuição tributária fixa

Vimos que uma vantagem é que a contribuição é fixa e com valor baixo.

Mas há também uma desvantagem nesse sentido: você terá que pagar a contribuição por meio do guia de arrecadação mesmo que não tenha obtido renda no mês ou que não esteja operando com a empresa.

2. Limite de aposentadoria

Embora o MEI garanta a aposentadoria pagando a contribuição mensal, você conseguirá se aposentar apenas com um salário mínimo, que em 2022 está em R$ 1.212. Portanto, ao optar pelo MEI, considere fazer uma previdência privada.

Entenda aqui como funciona a previdência privada.

3. Faturamento máximo

Só é possível permanecer enquadrado no MEI se o faturamento anual for de, no máximo, R$ 81 mil. Por mês, isso representa uma renda de até R$ 6.750.

Caso este não seja o seu caso, talvez seja a hora de considerar outras opções de empresas, como uma Sociedade Empresária Limitada (LTDA).

4. Número limitado de colaboradores

Isso não é necessariamente um problema para quem ainda é microempreendedor, afinal, se você está começando uma empresa, é natural que não tenha uma equipe.

Porém, caso as demandas aumentem e você precise de ajuda, o MEI pode ter apenas um funcionário, o que se torna uma desvantagem na medida em que o seu negócio cresce.

Aqui explicamos como um MEI pode contratar um funcionário em 7 passos e como registrar um empregado no MEI.

5. Tempo de obtenção do alvará

Para emitir nota fiscal, você precisa do alvará de funcionamento da prefeitura (processo que hoje é feito online). Após levar a documentação, a emissão pode ser lenta e você precisará esperar para prestar serviços para outras pessoas jurídicas.

No caso de pessoas físicas, não existe a obrigatoriedade de nota, como vimos antes. Então, se esse for o caso, já é possível iniciar as operações.

A importância de se planejar antes de optar por abrir o MEI

Depois de conhecer as vantagens e desvantagens do MEI, é hora de tirar a sua empresa do papel, desde que você se planeje para isso.

O primeiro passo é conversar com um contador, pois nem todas as atividades podem ser enquadradas no MEI e isso muda ano a ano. Então, esse profissional poderá auxiliar na escolha do enquadramento e orientar o processo de criação do CNPJ, assim como explicar o funcionamento do regime tributário.

Além disso, não se esqueça de elaborar um plano de negócio. De acordo com o Sebrae, esse documento define os passos que você precisa dar para alcançar seus objetivos e “permite identificar e restringir seus erros no papel, ao invés de cometê-los no mercado”.

Logo, é a partir desse plano que você identificará forças e fraquezas da empresa, definirá a estratégia e fará a projeção de crescimento do negócio.

Por fim, cuide rigorosamente das finanças da empresa. Defina um pró-labore fixo para não prejudicar as contas e o fluxo de caixa do negócio, registre todas as entradas e saídas financeiras em um sistema de gestão ou planilha, e faça projeções de custos fixos e variáveis, assim como lucros.

Aqui explicamos como controlar as finanças da empresa em 13 passos.

Além disso, de preferência tenha contas bancárias separadas, uma para pessoa física e outra para jurídica — lembre-se de que uma excelente opção é a MEI Fácil, conheça!

O propósito da Neon é diminuir desigualdades, mostrando caminhos financeiros mais simples e justos, porque todos merecem um futuro brilhante. A educação financeira é um dos principais pilares para fazer isso acontecer, por isso estamos aqui para te acompanhar em sua jornada com as finanças.

Conheça a Neon e todos os produtos que esperam por você aqui.