Despesas fixas e variáveis: importância do controle e dicas

Sabe como controlar suas despesas fixas e variáveis? Entenda as diferenças, e confira exemplos e dicas para administrar bem suas finanças
7 minutos de leitura
7 minutos de leitura
xx-pack-fevereiro-9

Despesas fixas e variáveis são gastos que fazem parte de todo orçamento pessoal. A diferença entre elas é que enquanto as fixas não alteram seu valor de um mês para outro, as variáveis estão sempre mudando conforme os hábitos de consumo.

Por isso, é importante saber como controlar os dois tipos de custos para manter um orçamento equilibrado, fugir das dívidas e atingir seus objetivos financeiros.

Se você ainda não controla suas despesas fixas e variáveis, vale a pena ler este artigo até o fim para cuidar melhor da sua vida financeira.

Vamos lá?

O que são despesas fixas e variáveis?

Despesas fixas e variáveis são tipos diferentes de custos que devem ser contabilizados no seu orçamento pessoal.

Veja a definição de cada uma delas:

O que são despesas fixas?

Despesas fixas são gastos que não variam ou variam muito pouco mensalmente, como aluguel, condomínio, impostos fixos e mensalidades.

Dessa forma, você consegue prever esse montante no seu orçamento mensal com variação mínima, tendo sempre uma base do seu custo de vida.

O que são despesas variáveis?

Despesas variáveis são gastos que variam de acordo com a frequência e intensidade do consumo, como as contas de água e luz, combustível do carro e alimentação.

Embora seja possível fazer uma média desses custos, os valores podem oscilar consideravelmente mês a mês, dependendo do seu comportamento.

Por exemplo, se você viaja muito e passa vários dias fora, a tendência é que a conta de luz e de água venham mais baixas. Porém, se você instalar um ar-condicionado, a energia elétrica vai aumentar no próximo mês.

Qual é a diferença entre despesas fixas e variáveis?

Como vimos, a diferença entre despesas fixas e variáveis é que as primeiras quase não mudam de mês para mês, enquanto as segundas estão sempre oscilando no orçamento conforme seu consumo e seus hábitos.

Os dois tipos compõem o total de gastos que você tem mensalmente, que deve ser deduzido da sua renda.

Logo, é importante separar as despesas fixas das variáveis quando você faz um planejamento financeiro pessoal visando se organizar, poupar e investir.

Afinal, uma parte de seus gastos será totalmente previsível, no caso das contas fixas, enquanto a outra deverá ser calculada com base em estimativas, já que o valor é variável.

Aproveite e confira o vídeo abaixo com mais detalhes sobre a diferença entre despesas fixas e variáveis:

Importância do controle de despesas fixas e variáveis pessoais

Controlar as despesas fixas e variáveis é essencial para manter uma vida financeira saudável e atingir seus objetivos.

Afinal, você precisa gastar menos do que ganha para conseguir poupar, investir e alcançar as metas que dependem do dinheiro, como comprar um imóvel, viajar ou fazer um curso.

No entanto, a falta de educação financeira tem como consequência o descontrole em relação aos próprios gastos e problemas na gestão do dinheiro.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 8 em cada 10 brasileiros não sabem como controlar as próprias despesas.

Conforme os resultados do levantamento, somente 18% dos entrevistados têm conhecimento total sobre o fluxo de receitas e despesas no orçamento pessoal.

A maioria (71%) tem apenas conhecimento parcial de suas finanças e outros 10% têm baixo ou nenhum conhecimento.

Além disso, mais de um terço dos brasileiros (36%) admitem não saber o valor exato das contas fixas que terão de pagar no mês seguinte. Já em relação às despesas variáveis, a maioria (57%) afirma não conhecer o valor total.

Esses são números preocupantes, pois mostram que as pessoas ainda têm muita dificuldade para controlar despesas fixas e variáveis, que é uma tarefa básica da organização financeira pessoal.

Só com a visão completa dos gastos mensais é possível se planejar para poupar e investir dinheiro.

Do contrário, o risco é acabar no endividamento pela falta de noção sobre os próprios custos. 

Exemplos de despesas fixas e variáveis

Para ajudar a identificar o que são despesas fixas e variáveis, reunimos alguns exemplos de gastos que se encaixam em cada categoria.

Despesas fixas

Como vimos, as despesas fixas são aquelas que não variam mês a mês, tais como:

  • Aluguel e condomínio;
  • Plano de TV, internet e celular;
  • Plano de saúde e plano odontológico;
  • Prestações de empréstimos e financiamentos;
  • Seguros (imóvel, veículo, celular, etc.);
  • Serviços por assinatura (Netflix, Spotify, Disney+, etc.);
  • Serviço de limpeza e lavanderia;
  • Impostos fixos (ex.: guia mensal do MEI e IPTU);
  • Mensalidade da faculdade, academia, curso, etc.;
  • Clubes de assinatura (livros, vinhos, roupas, etc.);
  • Assinatura de produtos recorrentes (ex.: ração do cachorro ou gato);
  • Mensalidades de serviços profissionais (professor particular, psicólogo, contador, etc.).

Despesas variáveis

Já as despesas variáveis podem ser:

  • Alimentação (supermercado, feira, açougue, quitanda, padaria, etc.);
  • Transporte público ou combustível do carro;
  • Serviço de babá/diarista;
  • Estacionamento;
  • Farmácia;
  • Cuidados pessoais (produtos de higiene e ligados ao bem-estar);
  • Produtos de limpeza;
  • Utilidades domésticas;
  • Produtos para pet em geral;
  • Passeios e viagens;
  • Idas a restaurantes e bares;
  • Ingressos de cinema, teatro e museu;
  • Livros, assinaturas de jornais e outros periódicos;
  • Instrumentos e ferramentas;
  • Serviços de beleza;
  • Vestuário em geral;
  • Delivery de comida;
  • Serviços pay per view (PPV);
  • Objetos de decoração;
  • Presentes;
  • Serviços de apps como Uber e 99.

Logo, fica claro que o tipo de despesa variável depende muito do seu estilo de vida.

Como controlar as despesas fixas e variáveis: 5 dicas

Se você quer controlar melhor suas despesas fixas e variáveis, é só seguir as dicas abaixo, oferecidas por quem entende de finanças pessoais.

1. Comece pelas despesas fixas

Para controlar suas despesas, é mais fácil começar pelas contas fixas, visto que você tem maior previsibilidade dos valores.

Então, reúna todos os gastos que têm sempre o mesmo valor, que podem ser pagos no seu cartão de crédito ou no boleto mensalmente.

A soma dessas contas vai te dar uma ideia de qual é seu custo fixo mensal. Para chegar ao valor certo, porém, você precisa estimar as despesas variáveis.

2. Encontre a média das despesas variáveis

Como as despesas variáveis não têm sempre o mesmo valor, é importante encontrar uma média desses gastos no seu orçamento.

Para isso, você pode somar seus gastos variáveis dos últimos 3 meses ou 6 meses, por exemplo, e encontrar uma média. Quanto maior o período analisado, mais preciso será o cálculo.

Então, se você conseguir calcular a média de despesas variáveis para 12 meses, por exemplo, o planejamento financeiro será ainda mais eficiente.

Comece por gastos que variam menos, como as contas de água e energia elétrica — se você mantém um consumo estável, pode até colocá-las nas despesas fixas.

Depois, considere as despesas variáveis essenciais, como alimentação e transporte. Então, some as despesas eventuais (lazer, compras, hobbies, etc.).

Por fim, é só dividir o valor total das despesas variáveis pelo período analisado para chegar à sua média mensal.

3. Analise o impacto das despesas fixas e variáveis

Com o valor das despesas fixas e a média das despesas variáveis, basta somar os resultados para chegar ao seu custo fixo mensal.

Com essa informação em mãos, você pode analisar se esse valor é compatível com a sua renda, ou seja, se você consegue gastar menos do que ganha.

Se o orçamento estiver no zero a zero, é sinal de que você precisa reduzir custos para conseguir poupar e investir para o futuro.

Veja aqui como readequar seu padrão de vida ao seu orçamento.

4. Defina um teto para as despesas variáveis

É importante definir um valor limite para as despesas variáveis no mês para evitar que elas encareçam suas contas.

Uma forma de fazer isso é utilizando métodos de controle de orçamento.

Por exemplo, o método 50-30-20 determina a seguinte distribuição dos gastos:

  • 50% da renda para gastos essenciais (moradia, contas de consumo, alimentação, etc.);
  • 30% da renda para despesas com estilo de vida (lazer, moda, cultura, viagens, etc.);
  • 20% da renda para prioridades financeiras (dívidas, poupança e investimentos).

5. Acompanhe as despesas de perto

Por fim, é fundamental acompanhar de perto todas as despesas fixas e variáveis mês a mês.

Assim, você não deixa nenhum gasto passar e pode tomar decisões mais conscientes sobre seu dinheiro.

Como reduzir as despesas fixas pessoais?

Você sabe como reduzir as despesas fixas e aliviar seu orçamento?

Confira algumas dicas:

Corte assinaturas supérfluas

Hoje em dia, é comum ter várias assinaturas de serviços de streaming, mas será que você está usando tudo isso mesmo?

A dica é revisar essas despesas na sua fatura e verificar quais serviços você pode cortar para economizar.

Leia também: TV por assinatura ou streaming? Veja como escolher

Renegocie planos de telefonia

As operadoras de telefonia sempre surgem com descontos e promoções para novos clientes, mas a tendência é que você pague cada vez mais caro no seu plano.

Por isso, vale a pena reservar um tempo para ligar na empresa e pedir uma redução, um desconto ou uma migração para um plano mais vantajoso.

Se você apontar a oferta do concorrente e disser que vai cancelar se não conseguir algo semelhante, a empresa vai fazer questão de oferecer benefícios para manter o cliente — daí é só aproveitar a economia nas contas do mês.

Pague o aluguel sempre antes do vencimento

Se você mora de aluguel, sabe que um atraso de um dia pode significar um encarecimento brusco no preço do boleto.

Então, aproveite sempre o benefício chamado “desconto de pontualidade” e pague menos no seu imóvel.

Como reduzir as despesas variáveis pessoais?

Agora vamos ver como é possível economizar nas despesas variáveis.

Economize água e luz

A dica básica para reduzir despesas variáveis é adotar hábitos que ajudam a economizar água e luz, tais como:

  • Feche as torneiras enquanto escova os dentes ou se ensaboa no chuveiro;
  • Junte toda a roupa suja para lavar de uma vez na máquina;
  • Use somente equipamentos com alta eficiência energética;
  • Tire os aparelhos da tomada quando não estiverem sendo utilizados;
  • Reutilize a água da lavagem de roupas para limpeza.

Economizar dinheiro: dicas úteis e práticas.

Considere outras formas de transporte

O transporte é uma das despesas variáveis mais significativas do orçamento nas zonas urbanas.

Como você deve imaginar, comprar um carro é uma das opções mais caras, considerando que você terá custos com manutenção, impostos, licenciamento, combustível, estacionamento, etc. — sem falar na depreciação do bem.

Então, vale a pena considerar alternativas que podem ser mais baratas, como:

  • Alugar um carro (para uso pontual);
  • Comprar uma moto;
  • Usar um carro por assinatura (para períodos mais longos);
  • Usar carros de aplicativo;
  • Usar o transporte público;
  • Pegar carona com colegas de trabalho e de universidade;
  • Comprar uma bicicleta.

Quanto custa manter um carro por mês ou ano no Brasil?

Economize combustível

Se não tiver como abrir mão do carro, seja próprio, alugado ou por assinatura, é importante adotar hábitos para economizar combustível.

Tente, por exemplo, fazer a manutenção preventiva com frequência, evitar horários de pico na cidade, reduzir o peso da bagagem e abastecer somente em lugares confiáveis.

Faça uma lista de compras

Você sempre acaba gastando mais do que deveria no supermercado?

A solução para economizar com essa despesa variável é sempre fazer uma lista de compras planejada antes de sair.

Assim, você evita pegar itens desnecessários, resiste a compras por impulso e consegue organizar melhor sua alimentação e cuidados com a casa.

Veja 10 dicas sobre como economizar no mercado e reduzir gastos.

Já conhece a série Gente que Brilha do nosso canal no YouTube?

Nela apresentamos histórias de pessoas brilhantes que compartilham suas vivências de vida e com a Neon.

A história de Mariana com a Neon é de conquistas. Nada pode parar um futuro brilhante quando vamos juntos.

Veja como a Neon impactou sua vida:

Faça você também sua história de conquistas com a Neon.

Viu como é importante conhecer suas despesas fixas e variáveis? Continue de olho em nossos conteúdos para organizar sua vida financeira e fazer seu dinheiro render mais.

O propósito da Neon é diminuir desigualdades, mostrando caminhos financeiros mais simples e justos, porque todos merecem um futuro brilhante. A educação financeira é um dos principais pilares para fazer isso acontecer, por isso estamos aqui para te acompanhar em sua jornada com as finanças.

Este artigo foi útil?

Dê sua nota e comente abaixo

Média da classificação 4.1 / 5. Número de votos: 18

Seja o primeiro a avaliar este post.

Tags:
Picture of Time Neon
Time Neon
Um time de pessoas dedicadas a diminuir desigualdades, mostrando caminhos financeiros mais simples e justos, porque todos merecem um futuro brilhante.

Você também pode se interessar

NEON LOGO