Orçamento familiar: o que é, qual a importância e como planejar

Você conhece a importância de ter um orçamento familiar? Entenda o que é, como montar uma planilha e como organizar a vida financeira.
7 minutos de leitura
7 minutos de leitura
Pessoa com as mãos em volta de ilustração de família e porquinho de dinheiro

Administrar as contas da casa pode parecer uma tarefa desafiadora, mas com um planejamento cuidadoso e organização adequada do orçamento familiar, é possível alcançar estabilidade financeira e realizar os seus sonhos.

O primeiro passo é criar um acompanhamento detalhado, que servirá como um guia para controlar gastos, identificar oportunidades de economia e direcionar seus recursos para as áreas que são mais importantes para você e sua família.

É fundamental não apenas observar as receitas e despesas, mas também estabelecer metas financeiras claras e encontrar maneiras de fazer o dinheiro que você economiza trabalhar a seu favor.

Neste texto, vamos explicar o que é o orçamento familiar, qual a sua importância e como você pode organizá-lo.

Mostraremos ainda como uma planilha pode ser uma maneira eficaz de acompanhar as finanças e traçar um caminho rumo ao sucesso monetário.

O que é orçamento familiar?

Orçamento familiar é uma prática que permite enxergar todas as receitas e despesas de uma família ao longo de um determinado período, geralmente mensal.

É um plano financeiro que ajuda a controlar os gastos da casa, garante que as despesas não excedam a renda disponível e possibilita o alcance de metas financeiras e de vida.

Afinal, uma família tem necessidades essenciais que geram contas mensais, como moradia, eletricidade, água, alimento, roupas, transporte, medicamentos, entre outras.

Além disso, há as necessidades e desejos individuais, que podem não ser as mesmas para todos os membros da família, como educação superior, tratamento odontológico, carteira de habilitação ou um novo equipamento de trabalho.

Por exemplo, enquanto um jovem que está concluindo a educação básica planeja ingressar na universidade, um adulto pode ter no seu horizonte fazer um curso para desenvolver novas habilidades e conseguir uma promoção ou um emprego melhor.

Fato é que, independente das necessidades e desejos, todas custam dinheiro e por isso, ter um orçamento familiar bem elaborado é fundamental para garantir o equilíbrio financeiro e o planejamento do futuro.

Assim, todos os integrantes da família podem unir esforços (tanto em termos de renda quanto de economizar onde der) para cumprir com seus deveres financeiros, não acumular dívidas e ainda atingir seus objetivos.

Qual a importância do orçamento familiar?

O orçamento familiar é fundamental por várias razões, dentre elas proporcionar segurança e estabilidade financeira, além de construir riqueza.

Ao fazer um orçamento familiar, será possível:

  • Ter um controle mais preciso sobre as finanças, sabendo exatamente para onde está indo o dinheiro
  • Definir metas financeiras de curto, médio e longo prazo, como comprar uma casa, viajar ou economizar para a educação dos filhos
  • Evitar dívidas, monitorando gastos e comparando-os com a renda disponível
  • Priorizar despesas, identificando aquelas desnecessárias e aquelas que são mais importantes para a família
  • Tomar decisões financeiras mais conscientes, como investir em educação, saúde ou lazer, de acordo com as prioridades e possibilidades da família
  • Reservar parte da renda para lidar com emergências e, ao mesmo tempo, valorizar o dinheiro acumulando capital por meio de investimentos rentáveis
  • Se adaptar a mudanças na renda ou nas despesas de forma mais eficiente, garantindo uma maior estabilidade financeira.

Em resumo, o orçamento familiar é uma ferramenta essencial para o bem-estar financeiro das famílias, proporcionando controle, planejamento e segurança financeira.

Como fazer o orçamento familiar?

Em primeiro lugar, o orçamento familiar deve envolver todas as pessoas da casa, mesmo aquelas que não possuem renda.

Isso irá prever todos os gastos, todas as fontes de renda e criará uma consciência coletiva acerca da saúde financeira da família, de forma que cada membro do grupo se torne mais cuidadoso e adote melhores hábitos com relação ao dinheiro.

Também é preciso determinar como a renda familiar será usada, quanto será destinado a contas, quanto poderá ser usado para diferentes atividades e quanto deve ser investido, por exemplo.

Um método famoso é o 50-30-20, que destina percentuais específicos para necessidades, desejos e objetivos financeiros.

Além disso, não basta apenas elencar os itens do orçamento familiar e nunca mais lembrar de consultar, inserir novas informações quando necessário ou não levar em conta esses cálculos na hora de tomar decisões financeiras.

Para facilitar o controle do seu orçamento familiar, use uma planilha de gastos.

Falaremos dessa ferramenta mais adiante, mas antes, veja dicas de como fazer um orçamento familiar.

1. Calcule a renda familiar total

Liste todas as fontes de capital da família, como salários, benefícios do governo, rendimentos de investimentos, aposentadoria e pensão, entre outros.

Além disso, inclua a renda extra, como aquela proveniente de trabalhos esporádicos, de natureza única ou sazonal.

Para quem trabalha pelo regime CLT, é fácil saber quais serão os ganhos no final do mês, pois o salário é fixo, mas quem recebe comissão ou um autônomo podem ter meses em que o faturamento é maior ou menor que o padrão.

Então, sempre que entrar algo novo ou um trabalho for cancelado, atualize seu orçamento para não se perder nas contas e acabar gastando mais do que vai receber.

2. Mapeie e classifique as despesas

Anote todas as despesas da família, desde contas fixas como aluguel e condomínio (se for o caso), IPTU, água, eletricidade e internet, até gastos variáveis como alimentação, transporte, lazer e compras.

No transporte, por exemplo, entram itens como seguro do carro, IPVA, gasolina, estacionamento e manutenção, ou então passagens de transporte público e de aplicativos.

Um orçamento familiar típico também inclui categorias como saúde, educação e imprevistos.

Para aqueles itens que não são recorrentes, como roupas ou artigos para a casa, você pode criar uma categoria de extras.

O importante é não deixar nada de fora e reservar uma parte do orçamento familiar para emergências e imprevistos.

3. Defina metas financeiras

Defina metas financeiras de curto, médio e longo prazo, como substituir um eletrodoméstico quebrado, pagar dívidas, trocar de carro ou economizar para uma viagem.

Tendo um objetivo a frente você e sua família terão mais incentivos para economizar.

4. Faça os cálculos necessários

Agora é a hora da calculadora: subtraia as despesas totais da renda total para saber o saldo disponível no final do mês.

Se o resultado for negativo ou se não estiver atingindo as metas financeiras, é necessário fazer ajustes.

Então, separe despesas essenciais e não essenciais e identifique quais gastos podem ser cortados, como compras por impulso e anuidade de cartão de crédito, ou busque soluções para aumentar a renda da família.

5. Identifique riscos e oportunidades

Use como referência o método 50-30-20 para avaliar a distribuição das despesas.

Segundo essa abordagem, o ideal é que seu dinheiro seja gasto na proporção:

  • 50% em gastos indispensáveis para viver, como moradia, alimentação e energia elétrica
  • 30% em compras que não são completamente necessárias, como passeios no shopping
  • 20% em dívidas ou investimentos.

Identifique quais são as categorias que mais estão consumindo seu dinheiro e elabore um plano para reduzir os gastos. 

Por exemplo, se você estiver gastando dinheiro demais com delivery de comida, vale a pena tentar reduzir no próximo mês montando suas próprias marmitinhas.

Leia também: Afinal, como readequar o estilo de vida para gastar menos?

6. Monte uma reserva de emergência

A vida nos reserva surpresas e sem uma habilidade de prever o futuro ou uma bola de cristal, o que resta é se preparar para situações inesperadas.

Isso quer dizer criar no seu orçamento familiar um espaço para reserva de emergência, ou seja, uma quantia da sua renda que ficará guardada para quando assuntos urgentes surgirem.

Porém, cuidado: esse dinheiro não pode ser realocado para outros objetivos, ou vai deixar de ser reserva de emergência.

Por exemplo, fazer uma viagem de última hora para ver o show do seu cantor favorito não é uma urgência nem algo essencial, portanto a verba para realizar esse desejo não vai sair dessa categoria.

Já arrumar um cano que estourou na casa e está alagando tudo é urgente, então você poderá usar a sua reserva para resolver o problema.

O ideal é calcular cerca de 6 meses ou mais de gastos mensais para considerar que você tem uma reserva, assim, se alguém da família perder o emprego, terão ao menos meio ano para segurar as contas enquanto se busca uma recolocação.

7. Reserve uma parte do dinheiro para guardar

Uma maneira de fazer uma reserva de emergência é aplicando em investimentos que valorizem o seu capital, que façam seu dinheiro render.

Porém, embora a ideia da reserva seja ter um dinheiro guardado e não usá-lo tão cedo, nunca se sabe quando esse dia vai chegar.

Por isso destine parte de sua renda para opções que tenham liquidez imediata.

8. Mantenha o compromisso

É fato: começar um orçamento é fácil, difícil é mantê-lo ao longo do tempo.

Afinal, será preciso encontrar regularmente um momento para fazer o balanço do período anterior e elaborar o planejamento familiar dos próximos meses.

Defina um dia específico no mês para fazer todos os cálculos.

Em seguida, crie alarmes em sua agenda digital para receber notificações sempre que a data estiver se aproximando.

Dica: procure criar planilhas fáceis e práticas de preencher — assim, você não precisará de muito tempo para fazer o orçamento familiar.

A seguir, explicamos como montar uma planilha ideal.

Como montar uma planilha de orçamento familiar?

Como mencionamos antes, uma planilha é uma excelente ferramenta de gestão financeira.

Comece por criar colunas para cada categoria (gastos fixos, variáveis, renda, emergência, metas, etc.).

Não esqueça de criar uma coluna para os meses do ano e de fazer a atualização e acompanhamento com frequência.

Por ser digital, você insere os dados e o próprio programa realiza o cálculo.

Baixe agora a planilha de gastos da Neon e faça dela uma aliada no controle de gastos e da saúde financeira familiar.

Exemplo de orçamento familiar

Veja só uma maneira simplificada de como organizar o orçamento:

Orçamento familiar 
Mês: XXX/XXXX
Receita
Fonte de rendaPrevistoRealDiferença
Salário
Pensão
Acordos judiciais
Renda extra
Gastos essenciais
ItensPrevistoRealDiferença
Água/Luz/Gás
Moradia
Supermercado
Mensalidade escolar
Farmácia e convênio médico
Animal doméstico
Gastos supérfluos
ItensPrevistoRealDiferença
Restaurantes
Compras em e-commerce
Assinaturas de streaming
Outros
Dívidas
GastosPrevistoRealDiferença
Parcela empréstimo
Parcela financiamento
Investimentos
GastosPrevistoReal
Aplicação em CDB
Transferência automática para poupança
Cálculos
PrevistoRealDiferença
Saldo disponível

Saiba mais sobre como organizar seu orçamento familiar e definir as prioridades!

Como melhorar o orçamento familiar?

Como citamos antes, o orçamento familiar é uma ferramenta importante para descobrir onde seu dinheiro está sendo mal gerenciado.

Uma vez identificados esses pontos de melhoria, é preciso elaborar um plano de ações para os próximos meses. 

Confira algumas dicas para melhorar o orçamento familiar:

  • Converse com seus familiares para enfatizar a importância de manter o orçamento na linha
  • Reduza os gastos no cartão de crédito
  • Faça cotações antes das compras, de modo a negociar os melhores preços
  • Reduza a frequência de compras em plataformas de e-commerce
  • Planeje cozinhar suas próprias refeições para gastar menos em restaurantes.

Organizou o orçamento familiar? Planeje suas metas

Com o orçamento familiar organizado, não deixe de planejar suas metas financeiras.

Isso é essencial para direcionar seus esforços de poupança e investimento.

Seja economizar para uma viagem em família, comprar uma casa, ou garantir a educação dos filhos, ter metas específicas em mente ajuda a manter o foco e a motivação.

Além de economizar, é importante fazer o dinheiro trabalhar para você.

Uma opção interessante é investir no CDB Neon, uma aplicação de liquidez diária com até 113% de rendimento.

Com a conta digital Neon, você pode ter um cartão de crédito sem anuidade (olha a economia aí), fazer cada R$ 10 guardado virar R$ 10 de crédito e ter cashback nas suas compras.

O propósito da Neon é diminuir desigualdades, mostrando caminhos financeiros mais simples e justos, porque todos merecem um futuro brilhante. A educação financeira é um dos principais pilares para fazer isso acontecer, por isso estamos aqui para te acompanhar em sua jornada com as finanças.

Este artigo foi útil?

Dê sua nota e comente abaixo

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Seja o primeiro a avaliar este post.

Tags:
Time Neon
Time Neon
Um time de pessoas dedicadas a diminuir desigualdades, mostrando caminhos financeiros mais simples e justos, porque todos merecem um futuro brilhante.

Você também pode se interessar

NEON LOGO
Minutos
Segundos